Menu:

Síntese Informativa

           Jacques Delors foi o principal impulsionador no processo de integração tendo a União Económica Monetária a principal chave de acesso à integração dos Estados membros.

           O Acto Único Europeu foi aprovado em 1986 e entrou em vigor a 1 de Janeiro de 1987. Os Objectivos da Acto Único:

          Obrigação de um mercado comum e sem fronteiras, coesão económica e social, política Europeia de investigação e tecnologia e o reforço do sistema Monetário Europeu, entre outros.

            No campo institucional a criação do Conselho da Europa.

            Medidas para o estabelecimento do mercado único.

            Estabelecer medidas para coordenar a política monetária dos estados membros.

           Diversas iniciativas para promover os direitos sociais (saúde e segurança dos trabalhadores), da investigação e tecnologia e do meio ambiente.

           Apoio à reforma e apoio financeiro dos fundos estruturais (fundo Europeu de Orientação e Garantia Agrícola – FEOGA; Fundo Social Europeu FSE e fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, FEDER).

           O Reino unido não partilhava da opinião de Jacques Delors. Tinha à frente do governo Margaret Thatcher (conservadorismo) que era contrária ao próprio conceito de união Europeia, menor intervenção do estado na economia e na protecção social, a liberalização dos sectores económicos, diminuição do poder dos sindicatos, redução de impostos… (tentou reduzir a contribuição britânica para fins comunitários). Esta ideologia era defendida por Margaret Thatcher e o conservadorismo.

         Com o crescimento da Comunidade Económica Europeia houve a queda do muro de Berlim e a reunificação da Alemanha; o derrube do comunismo (desintegração da U. Soviética).

         Há que ter em conta a falta de estabilidade financeira e monetária o “crash” da bolsa de 1987 que afectou as bolsas mundiais e os problemas do Sistema Monetário Europeu, - estes factores levaram a reforçar a ideia de Unidade Europeia – Tratado da União Europeia.

         O Conselho Europeu, celebrado em 9 e 10 de Dezembro de 1991, aprova o tratado da União Europeia, mais conhecido como “Tratado de Maastricht”