Menu:

MOVIMENTOS OPERÁRIOS

 
A industrialização é um contexto social e politico controverso, visto que, o crescimento económico é igual à desigualdade social; as injustiças sociais dão origem a movimentos/politicas sociais. Tudo isto leva à revolução industrial, movimentos que protegem o operário face à exploração desenfreada do proletariado.

Os movimentos de indignação dos operários e a sua forma de reivindicar eram completamente diferentes: os “Ludistas” invadiam fábricas e destruíam máquinas, enquanto os “Cartistas” tinham acções menos físicas mas iam mais pelo diálogo, organizados em associações de operários que lutavam por melhores condições de trabalho:

v  Limitação de 8 horas de trabalho diário;

v  Regulamentação do trabalho feminino;

v  Extinção da mão-de-obra infantil;

v  Folga semanal;

v  Salário mínimo.

Foi a partir destes movimentos das classes operárias do séc. XIX que se trouxe para o cenário da politica e da economia, a denúncia e da exploração do capitalismo e a exigência do Estado no reconhecimento e protecção dos direitos sociais e políticos da classe trabalhadora.